APRUMA – Nota Pública de Pesar

A Apruma – Seção Sindical do Andes Sindicato Nacional – vem, publicamente, manifestar seu sincero pesar pelos falecimentos, nesta terça-feira, 21 de abril, do jornalista Roberto Fernandes e do Sr. Pedro Sírio da Silva, morador do Cajueiro, Zona Rural de São Luís, no perímetro da Reserva Extrativista de Tauá-Mirim.

Roberto Fernandes, pernambucano de nascimento e maranhense por escolha, foi um dos exemplos de jornalismo comprometido com o que ensinam nossas Escolas de Comunicação, abrindo espaço para o contraditório e dando voz a quem ela era negada, mesmo dentro dos meios de comunicação em que trilhou sua trajetória. Por último, ele apresentava o programa Ponto Final, na Rádio Mirante AM, onde sempre recebeu o movimento docente, e outros movimentos populares e sindicais, para apresentarem suas versões dos fatos quando estas eram sonegadas em outros espaços de Comunicação Social. Nossa esperança é que o exemplo por ele deixado seja seguido no Jornalismo Maranhense.

O Sr. Pedro Sírio, por sua vez, nos ensinou, até o último instante, o valor imensurável de uma trajetória marcada pela luta em defesa da vida. Primeiro, como membro do Território do Cajueiro, não se curvou ante os que achavam, alguns amparados no poder do capital, outros no aparato da força estatal, que podiam simplesmente subjugar outras vidas de acordo com suas vontades. Seu exemplo de resistência coletiva empreendida conjuntamente com os membros de sua comunidade nos marca com o imperativo de não transigir e nem sucumbir facilmente ante os que nos atacam. Sua última batalha, contra o Covid19, não foi vencida por ele, que resistiu bravamente até o último momento, nesta terça-feira. Mesmo este esforço, entretanto, não é vão, posto que nos aponta não abrir mão de lutar por nossas vidas, como ele fez até o último momento.

Estes dois casos, dentre outros que infelizmente vêm ocorrendo, dão rosto à pandemia que se alastrou pelo mundo, e reforçam nossos apelos para que todos e todas sigamos as orientações da Organização Mundial da Saúde.

O que temíamos infelizmente vem se tornando realidade, com números transformando-se em rostos conhecidos ou familiares, e nos impõe a manter a luta para diminuir esse tipo de acontecimento infeliz: fiquemos em casa, não permitamos que vidas sejam ceifadas em vão. Busquemos informações de fontes seguras, valorizemos a vida, a nossa própria e a de quem nos é querido, e contribuamos para que a humanidade saia dessa situação fortalecida por ideais de solidariedade, igualdade e justiça.

São Luís, 22 de abril de 2020

Apruma Seção Sindical