Em mais uma demonstração de inimigo da ciência, governo busca esvaziar Área de Humanas

Em meio às declarações do presidente se contrapondo à comunidade científica brasileira e mundial na questão do enfrentamento ao Covid19, mais um ataque foi desferido à pesquisa.

Desta vez, aconteceu praticamente a proibição do financiamento à pesquisa na área de Humanas por parte daa instituições de fomento à pesquisa ligadas ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) que editou portaria, no último dia 24, esvaziando o investimento em pesquisa na área, ao estabelecer prioridade para a Tecnológica.

O MCTIC determinou através desse instrumento que a FINEP (Financiadora de Estudos e Projetos) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), entidades vinculadas à pasta, promovam “ajustes e adequações necessários nas respectivas linhas de financiamento e de fomento para incorporar em seus programas e ações as prioridades estabelecidas no documento”. Confira o inteiro teor do documento ao final desta matéria.

Com isso, a Portaria nº 1.122 ignora as demais áreas de conhecimento, reduzindo ainda mais o investimento público em áreas como ciências básicas, aplicadas, humanas e sociais, dando mais uma demonstração da anticiência que marca esse governo, ao desconhecer, inclusive, a relação entre as áreas do conhecimento.

Em nota, o Andes-SN classificou a medida como “arbitrária e autoritária, reproduzindo a visão obscurantista e elitista do governo atual de que a ciência tem apenas caráter utilitário, voltada apenas para o Capital, e de que pesquisas e produção do conhecimento nas áreas de ciências sociais e humanas são descartáveis”.

O Sindicato Nacional declarou ainda que vai lutar pela revogação imediata da portaria e denunciou mais esse ataque do governo federal ataca à produção de conhecimento no país, “desconfigurando o caráter do CNPq como órgão de fomento a todas as áreas de pesquisa e produção científica”

Assim como o Sindicato Nacional, a APRUMA também acompanha a questão, incorporando à sua pauta de lutas mais essa batalha na defesa da produção do conhecimento no país.

Confira AQUI a matéria do Andes-SN sobre o assunto.

Acesse aqui a Portaria 1.122, que busca atacar a produção do conhecimento na Área das Ciências Humanas