O povo ocupa a Universidade: segunda edição da Feira da Resex de Tauá-Mirim acontece na UFMA

Foi realizada nesta quarta-feira, 11, no Campus do Bacanga, a segunda edição da Feira da Resex de Tauá-Mirim, uma forma das comunidades, que reivindicam a criação dessa área de preservação na capital maranhense, demonstrarem a importância de seus territórios, que produzem, sem grandes impactos ao ambiente, alimentos de qualidade, seu uso de agrotóxicos.

A feira reuniu produtores de hortaliças, frutas, verduras, plantas medicinais, artesanatos, e diversos outros gêneros, que também trouxeram alimentos prontos para consumo, como lanches e refeições típicas da região, ocupada tradicionalmente por pescadores, agricultores, extrativistas, marisqueiras e criadores de pequenos animais.

Docentes, estudantes, servidores do quadro e terceirizados, além das comunidades do entorno da Universidade, levaram para a casa praticamente toda a produção ofertada. Uma consumidora relatava que assim que, recebeu a informação, dirigiu-se à Universidade para garantir a feira da semana.

Também houve lançamento de livros, como o do professor Saulo Arcangeli, da UEMA, fruto de sua dissertação de mestrado, que teve como objeto de pesquisa o conflito em torno da comunidade do Cajueiro, ameaçada pela construção de um grande porto no local.

Participaram desta edição comunidades da Resex de Tauá-Mirim, além de produtores de outras regiões que enfrentam problemas semelhantes (como tentativas de invisibilização e conflitos com grandes corporações): Rio dos Cachorros, Taim, Coqueiro, Igaraú, Cajueiro, Santa Rosa dos Pretos (Itapecuru-Mirim), Inhaúma, Vila Nova República, Estiva, Assentamentos do MST, Vila Ariri, Vila Embratel e outras do Itaqui-Bacanga, e produtores parceiros, como a artista plástica Regina Borba e a Blackzona.

Confira, nas imagens a seguir, um pouco do ambiente proporcionado pelo evento, realizado pelo Comitê Gestor da Resex (formado por comunitários da região, que declararam sua criação embora o poder público venha se negando a oficializar a decisão como forma de favorecer as grande corporações que ambicionam os territórios centenários das comunidades). A Feira da Resex é uma iniciativa que conta com o apoio da APRUMA, do GEDMMA/UFMA, da Universidade Federal do Maranhão (que cedeu o espaço para sua realização), da Associação Agroecológica Tijupá, da RadioWeb Tambor, do MST, do Movimento de Pescadoras e Pescadores, e da Confrem (Comissão Nacional de Fortalecimento das Reservas Extrativistas e Marinhas).