Preparar a greve do dia 18 de Março: Apruma convoca Assembleias nas Unidades da UFMA – confira e participe

Seguindo na construção das mobilizações em defesa da Educação e dos Serviços Públicos diante do agravamento do quadro de ataques desferidos por Bolsonaro e sua equipe, A Apruma Seção Sindical comunica a rodada de Assembleias que acontecem de 4 a 12 de março, nas cidades de Bacabal, Balsas, Chapadinha, Codó, Grajaú, Imperatriz, Pinheiro, São Bernardo e São Luís (confira calendário a seguir).

A pauta a ser discutida pelos docentes é a seguinte:

  1. Informes;
  2. Conjuntura Política;
  3. Adesão à Greve Nacional da Educação no dia 18 de Março;
  4. Construção da greve da categoria docente (indicativo de greve);
  5. Outros.

Podem participar dos debates e deliberações, nesse momento crucial de defesa da Universidade, dos salários e dos direitos da categoria, todos os docentes, filiados ou não ao Sindicato.

Além das Assembleias, a Apruma vem construindo um calendário de ações, junto a outras entidades da Educação e do serviço público, com vistas a fortalecer a resistência ante a ataques como: a contrarreforma da Previdência – que será inclusive responsável pela redução salarial a partir de março -; a Proposta de Emenda Constitucional 186 (PEC Emergencial), que pode reduzir salários e barrar concursos (além de outras propostas de emenda previstas no Plano Mais Brasil e que atacam direitos sociais); os ataques à Educação como a proposta do Future-se e a MP 914/2019, entre outras medidas. Confira a Agenda:

  • Dia 02 de Março: Recepção à comunidade universitária para o primeiro semestre letivo do ano
  • 03 de Março (terça-feira) – Plenária Ampliada de Construção da Greve do 18:Auditório do Sindicato dos Bancários, às 17h30 – aberta a estudantes, professores das redes públicas, das universidades e institutos e demais categorias
  • 04 a 12 de Março: rodada de Assembleias da Apruma nos campi: veja calendário abaixo;
  • Dia 04 de Março: Aula Pública “Educação Pública: em defesa da função social da Universidade” – 17h30 no Hall do CCH, no Campus Bacanga;
  • Dia 8 de Março: Mobilizações do Dia de Luta das Mulheres
  • Dia 14 de Março: dois anos da execução de Marielle Franco e Anderson Gomes
  • Dias 14 e 15 de Março: Reunião do Setor das Federais no Andes Sindicato Nacional, para socializar os encaminhamentos das assembleias realizadas pelo  Brasil e indicar as decisões;
  • Dia 18: Greve em Defesa da Educação e dos serviços públicos prestados à sociedade.

Calendário de Assembleias nos Campi

  • 04 de Março:

Campus Codó: 15h, na Sala de Multimídia do Prédio 2

Campus São Bernardo: 19h, no Auditório do Campus

  • 05 de Março:

Campus Pinheiro: 18h, na Sala 5 do Campus

  • 10 de Março:

Campus Chapadinha: 18h, no Auditório do Campus

  • 11 de Março:

Campus Balsas: 15h, no Auditório do Prédio Pedagógico;

Campus Grajaú: 15h, Sala 2;

Campus Bacabal: 19h, no Auditório do Campus;

Campus Centro Imperatriz: 19h, no Auditório do Campus.

  • 12 de Março:

Campus Bacanga: 17h30, no Auditório Ribamar Carvalho, na Área de Vivência.

Outras Assembleias estarão acontecendo nas Universidades por todo o país, seguindo orientação do 39º Congresso do Andes, que aconteceu no início de fevereiro em São Paulo.

Os resultados das Assembleias serão levados para a reunião do setor das universidades federais, que acontece na sede do Andes Sindicato Nacional, em Brasília, nos dias 14 e 15 de março. Nela, serão socializados os encaminhamentos para que se possa indicar as decisões.

Outras categorias também vêm se preparando para que o dia 18 seja marcado como um grande dia de resistência em defesa da soberania nacional contra o avanço das políticas predatórias tocadas por Bolsonaro, Guedes, Weintraub e demais membros do governo. Portanto, é fundamental que o setor da Educação Pública, que sempre foi vanguarda nesse processo de defesa do patrimônio público, prepare-se para construir essa mobilização: todos e todas às Assembleias.