Nova Gestão Toma posse na Apruma

Aconteceu, no início da noite desta quinta-feira, 19 de dezembro, a Assembleia Geral Extraordinária da Apruma em que tomou posse a nova gestão da Seção Sindical para o biênio 2020-2022, “Amanhã Vai Ser Outro Dia: Apruma Autônoma e Democrática”.

A cerimônia contou com boa participação docente, de representantes de movimentos sociais e de parceiros do Sindicato, apontando para a unidade necessária que será precisa para os enfrentamentos que se estenderão pelo próximo período, na defesa da Educação Pública, da Universidade Pública, dos serviços igualmente públicos, dos direitos sociais e da própria democracia.

Antes da posse, a então presidente Sirliane Paiva retomou o balanço da atuação da atual gestão, detalhando uma série de atividades realizadas em São Luís e nos demais campi da UFMA de forma unificada, como as de defesa da Educação e contra os cortes orçamentários na pasta, a defesa da aposentadoria, resistência ao Future-se, entre outras (veja vídeo do relatório da atuação da gestão 2018-2020 AQUI).

Assinaturas

Na sequência, os eleitos para a Diretoria Executiva e para o Conselho de Representantes que estavam presentes assinaram um termo de posse, marcando o momento.

Posse

Em seguida, foram considerados empossados os novos professores e professoras que se dispuseram a estar à frente não apenas das lutas da categoria no próximo período, mas também nas demais batalhas da classe na defesa de seus direitos.

Discurso

Finalizando esse momento, o presidente Bartolomeu Mendonça proferiu seu primeiro discurso à frente da gestão (pode ser lido na íntegra ao final desta matéria), destacando uma saudação à gestão anterior, bem como à atual diretoria do Andes Sindicato Nacional, dirigindo-se também de modo respeitoso à Chapa 2, pelo bom debate durante a campanha, onde foi possível discutir propostas, além de ser uma chapa composta por um conjunto de companheiros pelos quais temos o maior respeito, afirmou. Ele também reafirmou a autonomia da APRUMA frente a partidos, governos e reitorias, e agradeceu os 337 votos recebidos pela chapa eleita, fazendo o convite para que todos permaneçam nas fileiras da luta e, segundo disse, com o mesmo respeito se dirigia também aos votantes da outra chapa, aos que votaram em branco ou anularam seu voto, bem como aos que ainda não se filiaram, pois o Sindicato trabalhará para todo o conjunto.

Bartolomeu afirmou ainda a necessidade, a ser perseguida pelo Sindicato, de implementar mecanismos de resistência às universidades públicas e aos docentes, e defendeu aprofundar o debate de caracterização do atual governo e também as discussões sobre a central a que Apruma e Andes estão filiados.

Sobre a atuação nos segmentos, a construção de uma pauta voltada para os docentes aposentados, a continuação e ampliação dos debates e demais eventos de formação e atenção total, nas mesmas medidas da oferecida na sede, aos docentes dos campi do continente. Ele lembrou ainda que a atuação dos conselheiros será de fundamental importância em todos os locais de trabalho.

Para Bartolomeu, “Só teremos vitória se tivermos capacidade de derrotar esse governo de traços fascistas que se instalou após o rompimento do pacto democrático”. Confira ao final a íntegra de sua fala.

Coquetel

Ao final, os presentes participaram de um coquetel oferecido pelo Sindicato para marcar o momento.

Discurso de posse

AMANHÃ VAI SER OUTRO DIA – APRUMA AUTÔNOMA E DEMOCRÁTICA

Gestão 2020 – 2022

Discurso de posse (19.12.2019, às 18:00).

 

Colegas docentes, técnicos e gestores da UFMA, funcionários da APRUMA, Assessoria Jurídica, dirigentes sindicais, profissionais da imprensa, senhoras e senhores, boa noite!

Um agradecimento especial à gestão que ora se encerra, representada na pessoa de sua presidente, professora Sirliane Paiva.

Uma saudação ao professor Antônio Gonçalves, presidente do ANDES-SN, que é da base da APRUMA.

E aos professores/as da Chapa 2, nosso agradecimento e respeito em nome do professor Welbson Madeira.

 

O que se repete nesta noite é o fortalecimento da liturgia da gênese do novo vindo da história de gerações de professores e professoras, que há mais de quatro décadas se organizam em torno de lutas por direitos e dignidade.

A cada dois anos, em um ritual de escolha, os docentes da APRUMA – Seção Sindical decidem quem deve representá-los, qual política deve ser seguida; já houve momentos em que foram  provados em decidirem entre a autonomia ou submissão ao mandatário-mor, e ficaram com a certeza de um sindicato autônomo, forte, que representasse, em primeiro plano, os interesses da categoria docente da UFMA, sem descuidar das lutas por garantias de direitos e dignidade para o conjunto dos trabalhadores e trabalhadoras.

Movidos pela compreensão de que o novo não brota do nada, mas nem por isso deixa de ser novo, compusemos a Chapa 1, Amanhã vai ser outro dia – APRUMA autônoma e democrática. Cingidos pelas experiências dos lutadores e lutadoras que nos antecederam, apresentamos a opção de dirigir nosso sindicato pautado na autonomia em relação a governos, reitorias e partidos, com o compromisso de avançar naquilo que seja possível. Foi essa a opção feita pelos 337 docentes que compareceram às urnas e depositaram o voto em nossa Chapa, aos quais somos gratos e a quem fazemos o convite a permanecer em unidade com o compromisso de fortalecer nosso sindicato.

De outro lado, cumprimentamos e agradecemos o zelo e o compromisso daqueles que votaram nos nossos adversários, ou daqueles que anularam ou deixaram em branco suas opções, ou ainda daqueles que não compareceram às urnas, ou, em último juízo, dos colegas docentes que ainda não são sindicalizados, alguns inclusive chegaram a ir à seção eleitoral com o compromisso de construir, fortalecer e legitimar nosso instrumento de luta de classe: é em nome de todos estes, do conjunto daqueles e daquelas que compõe a APRUMA, que a gestão ora empossada pretende delinear seu plano de ação para o próximo biênio 2020-2022, que consiste, entre outras ações:

  1. apresentar nossa pauta de reivindicações à administração superior da UFMA.
  2. ampliar os eventos, seminários, encontros que são realizados pela APRUMA.
  3. visitar cada centro, cada departamento, cada campi.
  4. fortalecer a participação dos docentes nos espaços de debate e deliberação do sindicato.
  5. criar mecanismos de resistências ao ataques à universidade pública e aos docentes.
  6. discutir formas de integração da luta em nível local, regional e internacional, inclusive avançar no debate de caracterização do atual governo, como também da central a que somos filiados.
  7. ampliar o diálogo e colaboração com outros sindicatos e movimentos sociais.
  8. Priorizar atividades com professores/as aposentados/as e atualizar suas pautas específicas.

E, de modo muito particular, buscar ouvir e integrar os docentes dos campi do continente (Bacabal, Balsas, Chapadinha, Codó, Grajaú, Imperatriz, Pinheiro, e São Bernardo) na política e nas ações do Sindicato.

Temos a compreensão de que só avançaremos, como categoria docente, e só teremos vitórias para nossa classe trabalhadora, se tivermos a capacidade de derrotar o governo de traços fascistas que se fixou em nosso País após o rompimento do pacto democrático.

E, como diz Brecht, “infeliz a nação que precisa de heróis”; parafraseando-o: “infeliz o sindicato, a categoria que precisa de heróis”. Nosso sindicato, não precisa de heróis, a APRUMA carece da participação, por igual, daqueles/as que a constituem.

Nos centros, os membros do Conselho de Representantes são a voz, o sonho as certezas e incertezas do nosso sindicato. Nos campi do continente, a mesma coisa, os conselheiros são a encarnação da APRUMA, mas não só: cada sindicalizado/a, cada docente representa o programa de uma universidade pública, gratuita, laica e de qualidade.

Ainda lembrando Brecht:

“Privatizaram sua vida, seu trabalho, sua hora de amar e seu direito de pensar. É da empresa privada o seu passo em frente, seu pão e seu salário. E agora, não contentes, querem privatizar o conhecimento, a sabedoria, o pensamento, que só à humanidade pertence” (Brecht).

Nossa tarefa, como classe trabalhadora, e como docentes da universidade é garantir que o  “conhecimento, a sabedoria, o pensamento, que só à humanidade pertence”, permaneça livre!

Assim, seremos capazes de construir uma universidade mais humana e feliz.

Avante!

Muito obrigado!

Composição da nova gestão

Diretoria Executiva

Presidente:

Bartolomeu Rodrigues Mendonça

Vice-presidente:

Cacilda Rodrigues Cavalcanti

Secretário Geral:

Micael Carvalho dos Santos

Primeira Secretária:

Eloisa da Graça do Rosário Gonçalves

Diretora Administrativo-Financeira:

Célia Soares Martins

Primeira Tesoureira:

Elisângela Sousa de Araújo

Diretor de Interiorização:

Jesus Marmanillo Pereira

Diretor Adjunto de Interiorização:

Raimundo Edson Pinto Botelho

Diretora de Relações Sindicais e Populares:

Diana Costa Diniz

Diretora Acadêmica, Cultural e Social:

Aldinar Martins Bottentuit

Diretor de Dignidade Humana:

Horácio Antunes de Sant’Ana Júnior

 

Conselho de Representantes

Fernando Pedro Dias – CCET

Hipolito Cavalcante Correia – CCET

Maria Eufrasia Campos – CCET

Arleth Santos Borges – CCH

Almir Ferreira da Silva Júnior – CCH

José Murilo Moraes dos Santos – CCH

Madian de Jesus Frazão Pereira – CCH

Ed Wilson Ferreira Araújo – CCSo

Leoneide Maria Brito Martins – CCso

Letícia Conceição Martins Cardoso – CCSo

Mariana Cavalcanti Braz Berger – CCSo

Thais A. Carvalho de Figueirêdo Lopes – CCSo

Ruan Didier Bruzaca Almeida Vilela – CCSo

Carina Helena Wasem Fraga – CCBS

Líscia Divana Carvalho Silva – CCBS

Maria do Socorro Saraiva Pinheiro – CCBS

Patrícia Ribeiro Azevedo – CCBS

Raimundo Antônio Gomes Oliveira – CCBS

Silvana Martins de Araújo – CCBS

Carolina da Silva Portela – COLUN

José Ângelo Cordeiro Mendonça – COLUN

Maria Jandira de Andrade – COLUN

Betânia Oliveira Barroso – Imperatriz

Ana Paula Ribeiro de Sousa – Bacabal

Cláudio Gonçalves da Silva – Chapadinha

Anne Caroline Nava Lopes – Pinheiro

Francisco Waldílio da Silva Sousa – Codó

Thiago Pereira Lima – São Bernardo

Ubiratane de Morais Rodrigues – Grajaú

Gisélia Brito dos Santos – Balsas