Breve Reflexão sobre o “FUTURE-SE”, por Arleth Borges*

Vejam, no dia 12 ocorreu uma reunião, presidida pela reitora e com a presença dos pró-reitores e diretores de centros para discutir o “FUTURE-SE”.

O MEC, ardilosamente, orientou que essa fase deveria ser só de discussão, sem manifestação a favor ou contra. Alegam que, por enquanto, há só uma minuta e quem vai votar e decidir mais à frente serão os parlamentares.
Mas, enquanto nos induz a perder tempo, o MEC já vem fazendo propaganda do “FUTURE-SE” e articulando apoio.

Como a Andifes embarcou nessa tolice de que o momento é só pra discutir, a reunião da UFMA seria conduzida nesse rumo. Entretanto, as manifestações dos representantes dos Centros e dos docentes e alunos presentes foram, em sua imensa maioria radicalmente contra o projeto e favoráveis a que manifestemos nosso repúdio o quanto antes, até para derrotar esse projeto antes mesmo que chegue ao congresso.

Os argumentos contra o “FUTURE-SE” foram muitos, bem fundamentados e bastante convincentes.

Foi marcada para o dia 19, uma Assembleia Geral da UFMA, aberta à comunidade e com a presença de parlamentares maranhenses. No dia seguinte, haveria reunião extraordinária do CONSUN para formalizar a posição da UFMA.

Como o MEC reviu o absurdo calendário anterior (com pouco tempo e em período de férias) a assembleia geral foi adiada pela reitoria. Ocorrerá em data a ser divulgada.
Estejamos alertas, a situação é muito grave.

 

*Arleth Borges é Professora do Departamento de Sociologia e Antropologia da UFMA – DESOC. Doutora Ciência Política pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro – IUPERJ.