Governo da BA corta ponto de professores universitários em greve

O governo da Bahia anunciou corte de ponto dos professores das universidades estaduais em greve. A pauta do movimento é clara: contra os cortes nos orçamentos das universidades do Estado, reajuste salarial, garantia dos direitos e revogação das alterações feitas no Estatuto do Magistério Superior.

Desde janeiro de 2018 estas reivindicações são do conhecimento do governo de Rui Costa, do PT. A instalação da mesa de negociação, entretanto, foi conseguida apenas com a greve, deflagrada em 4 de abril último.

Como resposta à greve, o governo anunciou corte de ponto na Universidade Estadual da Bahia (UNEB), Universidade estadual de Santa Cruz (UESC), Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS) e na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB).

“Trata-se de um ataque extremamente grave realizado pelo governador em um momento histórico, no qual as liberdades democráticas e o direito de lutar por direitos sociais da classe trabalhadora são seriamente ameaçados por governos e patrões”, repudiou o Andes Sindicato Nacional em nota.

Confira a Nota de Repúdio do Andes contra o corte de ponto na Bahia, na íntegra, a seguir:

NOTA DE REPÚDIO AO CORTE DE PONTO DE PROFESSORE(A)S DAS UNIVERSIDADES ESTADUAIS DA BAHIA

Em 04 de abril de 2019, as Universidades Estaduais da Bahia deflagraram greve em defesa da universidade por conta do contingenciamento orçamentário realizado pelo Governo Estadual, por reajuste salarial, pela garantia dos direitos trabalhistas e para reverter as alterações feitas de forma autoritária no Estatuto do Magistério Superior. Apesar da pauta do movimento docente ter sido entregue em janeiro de 2018 e reforçada em dezembro do mesmo ano, o governo abriu mesa de
negociação somente após a deflagração da greve.

Em resposta à greve, o governador Rui Costa (PT) da Bahia anunciou, por meio de sua assessoria de comunicação, que cortará o ponto de todas e todos o(a)s professore(a)s das universidades que estão realizando greve: Universidade do Estado da Bahia (UNEB), Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS) e Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB). O corte, de acordo com a prévia disponível online, inclui todas e todos o(a)s professore(a)s, inclusive aquele(a)s afastado(a)s para pós-graduação, em licença e
aposentado(a)s.

Trata-se de um ataque extremamente grave realizado pelo governador em um momento histórico, no qual as liberdades democráticas e o direito de lutar por direitos sociais da classe trabalhadora são seriamente ameaçados por governos e patrões.

Enquanto anuncia para a grande imprensa (inclusive utilizando verba pública para comprar matérias em jornais) que está aberto ao diálogo, Rui Costa (PT) escolheu realizar um ataque arbitrário e violento contra professoras e professores que hoje lutam contra cortes sociais e em defesa da educação pública e gratuita no estado da Bahia.

O ANDES-SN se solidariza com o(a)s professore(a)s das Universidades estaduais da Bahia e continuará junto às seções sindicais na luta pelas legítimas reivindicações e na defesa da liberdade de organização.

Liberdade de ensinar e aprender: por educação, ciência e tecnologia públicas!

Lutar não é crime!

Todo o apoio à(o)s docentes das universidades estaduais da Bahia!