Entidades da Educação planejam levar caravana para o III Encontro Nacional da Educação

Sindicatos, movimentos e militantes da Educação Pública que organizaram a etapa local preparatória (pré-ENE) ao III Encontro Nacional da Educação (III ENE) estão se mobilizando para formar caravana para o Encontro, que acontece de 12 a 14 de abril na Universidade de Brasília.

O Grupo de Trabalho de Política Educacional da Apruma (GTPE) já está com grupo formado para participar do III ENE, mas o conjunto de movimentos que realizou o Pré-ENE em novembro último, oportunidade na qual deliberaram por rearticular o Fórum Estadual de Defesa da Educação Pública, do qual a Apruma faz parte através do GTPE (além de Sinasefe Monte Castelo, Sinasefe Maracanã, Sinproesemma, Abem, MST, Sindeducação, Sintema, Cimi e Histedbr), deliberou, também, pelo esforço de convocar estudantes e trabalhadores da Educação para participar do III ENE.

A participação de militantes da Educação de todo o país se faz ainda mais justificada ante o cenário de ataques constantes ao setor, o que faz com que trabalhadores, estudantes e demais militantes da área tracem estratégias de defesa da Educação Pública, Laica, Gratuita, de Qualidade e Socialmente Referenciada, defendendo um projeto que seja construído pelos trabalhadores, voltado a lhes atender de forma satisfatória e emancipatória. O III ENE é a oportunidade de se construir um plano de lutas para a Educação que caminhe nesse sentido, e isso de forma urgente.

Assim, quem desejar participar deve preencher o formulário que se encontra AQUI.

O Fórum de Defesa da Educação solicita ainda que militantes e instituições parceiras divulguem a iniciativa, a fim de que o Maranhão possa construir uma grande participação no III ENE.

Veja aqui detalhes sobre como participar do III ENE.

Seminário Internacional

Antecedendo o III ENE, o Andes realiza, também em Brasília, o Seminário Internacional “Universidade, Ciência e Classe em uma era de crises”, nos dias 10 e 11 de abril. Pela Apruma, deve participar do Seminário Internacional boa parte dos docentes que irão à Capital Federal para o III ENE.

As inscrições devem ser realizadas até 1° de abril por meio do email secretaria@andes.org.br.

O Seminário Internacional do ANDES-SN será composto por seis mesas, divididas entre os dois dias de evento. Na quarta-feira, 10 de abril, terão lugar os debates sobre “Ciência, Tecnologia e Capital: a “Caixa Preta” da inovação”, “Orçamento Público e Financiamento da Educação Superior” e “Dívida Pública e Usura Financeira”.

Já na quinta-feira serão realizadas as mesas sobre “A Luta da Universidade Pública e da Classe Trabalhadora na Argentina e no Brasil”, “A Luta das Mulheres Trabalhadoras pelo Aborto Legal, Seguro e Gratuito” e “Decomposição e Recomposição da Classe Operária”.

A realização do Seminário Internacional é uma deliberação do 38º Congresso do ANDES-SN, realizado no início do ano em Belém (PA).

Entre os palestrantes:

  • Francesco Schettino. Docente do departamento de jurisprudência da Universidade da Campânia, em Nápoles, na Itália. Estuda temas como economia e desigualdade social.
  • Osvaldo Coggiola. 2º vice-presidente da Regional São Paulo do ANDES-SN. É docente do departamento de história contemporânea da Universidade de São Paulo (USP). Estuda temas como marxismo, América Latina, movimento operário, capitalismo e socialismo.
  • Maria Lúcia Fatorelli. Economista e Auditora da Receita Federal. É coordenadora da Auditoria Cidadã da Dívida Pública. Foi uma das responsáveis pela auditoria da dívida pública do Equador.
  • Fabio Marcelli. Colaborador técnico-profissional do Conselho Nacional de Pesquisa da Itália (Consiglio Nazionale Delle Ricerche). Estuda temas como dívida pública, direito internacional ambiental e povos indígenas.
  • José Menezes Gomes. Docente do curso de economia da Universidade Federal de Alagoas (Ufal). Atua na área de Teoria Econômica, especialmente nos seguintes temas: crise capitalista, imperialismo, fundos de pensão, políticas públicas e lutas de classes. É coordenador do núcleo alagoano pela Auditoria da Dívida Pública.
  • Otaviano Helene. Professor do Instituto de Física da Universidade de São Paulo (USP). Foi presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas (Inep). É autor do livro “Um Diagnóstico da Educação Brasileira e de seu Financiamento” (ed. Autores Associados, 2013), entre outros.
  • Claudia Baigorria. Docente universitária na província de La Rioja, noroeste da Argentina. Secretária Adjunta da Federação Nacional dos Docentes e Pesquisadores Universitários da Argentina (Conadu Histórica).
  • Eblin Farage. Secretária-geral do ANDES-SN. Docente da Universidade Federal Fluminense (UFF). Pesquisadora na área de questão urbana, com ênfase na temática de favelas e espaços populares. Coordenadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Favelas e Espaços Populares – NEPFE.
  • Romina Del Plá. Deputada nacional na Argentina pela Frente de Esquerda e dos Trabalhadores (FIT). Professora de educação básica e dirigente do Sindicato Unificado dos Trabalhadores da Educação da Província de Buenos Aires (Suteba), seção de La Matanza. Milita pela legalização do aborto e pela separação do estado e da igreja.
  • Ricardo Antunes. Professor Titular de Sociologia na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Estuda temas como sociologia do trabalho; nova morfologia do trabalho; trabalho e centralidade; sindicalismo e movimento operário.
  • Marcelo Badaró. Professor Titular de História do Brasil na Universidade Federal Fluminense (UFF). Tem experiência nas áreas de Metodologia e Teoria da História e de História do Brasil, com ênfase em História do Brasil República e História Social do Trabalho. Atua também nos seguintes temas: história do Brasil recente, história social urbana do Rio de Janeiro e partidos e organizações de esquerda.