Representantes de diversos movimentos e pastorais, que lidam com conflitos no campo e na cidade que têm vitimado trabalhadores rurais e urbanos e difamado biografias como as da Irmã Dorothy Stang e do Padre Josimo (como o evento que se pretendia realizar em uma faculdade particular em São Luís), atenderam ao convite da APRUMA, e assim foi realizada reunião na última quinta-feira, 19, quando foram definidas estratégias para reafirmar a História de Luta e Resistência do Povo.

Nesse sentido, deliberou-se pela realização do Seminário “Vidas ameaçadas: luta e resistência no campo e na cidade”, que deve acontecer na segunda quinzena do mês de maio, em São Luís.

Também deverá ser subscrita uma nota das entidades denunciando a revisão de biografias e os ataques a camponeses, indígenas, quilombolas e população das periferias das cidades.

O seminário em maio deverá ser finalizado com uma passeata de resistência.

Para acertar detalhes dos eventos, acontece nova reunião, também na Apruma, na próxima quarta-feira, 25 de outubro, às 17h. O chamado aos movimentos populares está mantido para mais este encontro.

Não nos calarão!