Greve Geral dia 5 de dezembro contra reforma da Previdência

Na última sexta-feira, 24, enquanto se desenrolava o Seminário do GTPAUA no Campus Bacanga, chegou aos participantes a notícia de que, reunidas naquele dia em São Paulo, as centrais sindicais CSP-CONLUTAS,  CUT, Força Sindical, UGT, CTB, Nova Central, CSB, Intersindical e CGTB definiram a realização da GREVE GERAL para a próxima TERÇA-FEIRA, dia 5 de dezembro.

Em São Luís, centrais, sindicatos e movimentos populares e da juventude reúnem-se NESTA SEGUNDA-FEIRA, às 18h30, na Sede da CUT Maranhão (próxima à Igreja de Santo Antônio, no Centro de São Luís) para definir as atividades deste dia de greve.

A paralisação geral foi marcada em razão de o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, depois de se reunir com Michel Temer, anunciar a votação naquela Casa para o início do mês. Mesmo apoiando a reforma, a grande imprensa não consegue esconder o acordão bilionário para sua aprovação, envolvendo as cúpulas dos poderes num balcão de negócios (veja aqui).

Além da greve geral, ainda esta semana Brasília será tomada por servidores públicos de várias categorias e de vários estados, que amanhã (28/11) realizarão grande ato público na defesa dos serviços e de seus direitos.

Em razão disso, a posição dos trabalhadores deve ser enérgica:

A orientação é para que todos os sindicatos e movimentos sociais deem início a um forte processo de mobilização desde já, com a realização de assembleias e panfletagens junto aos trabalhadores para preparar um grande dia de paralisação nacional no dia 5.

De forma unânime, os dirigentes avaliaram que o novo texto de reforma apresentado pelo governo Temer é mais um grave ataque aos trabalhadores e, se aprovada, representará o fim do direito à aposentadoria no país.

Em contraposição ao discurso do governo, que tenta convencer a população de que a Reforma da Previdência é necessária e “combate privilégios”, as centrais também decidiram intensificar a campanha, seja nas redes sociais, com panfletos, vídeos ou outros meios, para desmascarar as mentiras de Temer e esclarecer aos trabalhadores o quão nefasta é essa reforma.

Construir a Greve Geral AGORA

“A iniciativa de convocação da nova greve geral para 5 de dezembro, deve ser, por nossa categoria, assumida como tarefa estratégica na luta para barrar a contrarreforma da Previdência e revogar as demais retiradas de direito. Devemos nos empenhar, através de nossas seções sindicais e secretarias regionais, na construção ampla e articulada com as demais categorias e movimentos sociais, nos estados, para a construção de ações e mobilizações”, conclamou a presidenta do ANDES-SN, Eblin Farage.

A APRUMA tem ASSEMBLEIA GERAL agendada para a segunda-feira, dia 4, às 17h, no Auditório Ribamar Carvalho, Área de Vivência do Campus Bacanga. Com a deflagração da Greve Geral, esse deve ser um dos pontos a ser incluído na pauta, que trará: informes, eleição de membro para a Comissão Eleitoral e de delegados e delegadas, além de observadores e observadoras, para o 37º Congresso Nacional do ANDES-SN, que ocorrerá de 22 a 27 de janeiro de 2018, em Salvador (BA).

Apruma, com informações do Andes e da CSP-Conlutas