14 de setembro é Dia Nacional de Mobilização

O próximo Dia 14 está marcado para ser um Dia Nacional de Lutas, Mobilização e Paralisação em Defesa dos Serviços Públicos e contra a Reforma da Previdência. A data foi aprovada em vários fóruns deliberativos de trabalhadores, vítimas das contrarreformas que retiram seus direitos: O Fórum Nacional das Entidades do Serviço Público Federal (Fonasefe) fez o encaminhamento, referendado durante a reunião do Setor das Instituições Federais de Ensino (Ifes) do ANDES-SN, no dia 18 de agosto, e posteriormente em reunião da Frente de Lutas contra as reformas, que reúne sindicatos, centrais e movimentos sociais maranhenses – neste caso, apontou-se como ponto de concentração, a partir das primeiras horas da manhã desse dia, o Largo de São Pedro, em São Luís, à entrada do acesso ao Campus do Bacanga, na Avenida dos Portugueses.

O Dia Nacional de Lutas é ainda ponto de pauta da Assembleia Geral da Apruma que acontece nesta terça-feira, dia 12, às 17h, no Auditório Ribamar Carvalho, na Área de Vivência do Campus Bacanga (confira AQUI). Para preparar a atividade da data, a participação na Assembleia é imprescindível.

Além dos docentes, estudantes, técnico-administrativos em educação, trabalhadores de outras categorias e representantes de movimentos sociais e populares devem participar dos atos contra o desmonte dos serviços públicos: nesta segunda-feira, por exemplo, servidores do Judiciário Federal e do Ministério público da União, da base do Sintrajufe/MA, realizaram Assembleia Geral ratificando participação dessa jornada de lutas.

O Dia Nacional de Lutas também foi aprovado na reunião da Coordenação Nacional da CSP-Conlutas, que ocorreu de 1 a 3 de setembro, em São Paulo (SP), e incorporado no calendário de lutas da Central em todo o país.

Ainda na terça, após a Assembleia Geral da Apruma, acontece nova reunião da Frente contra as Reformas, às 19h, no Sindicato dos Bancários (rua do Sol, Centro de São Luís). Todos podem participar.

No campo da Educação, além do ANDES-SN, a Fasubra e o Sinasefe – entidades sindicais do setor da educação federal – também incorporaram a data em seus calendários. Ainda no dia 14, metalúrgicos de todo o país preparam uma forte resistência nas ruas e nas fábricas para barrar os ataques do governo federal.

ATAQUES AOS TRABALHADORES

Além de lutar contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287/2016 – da contrarreforma da Previdência – e o Programa de Desligamento Voluntário (PDV), os docentes exigem também a revogação das leis da Reforma Trabalhista e da Terceirização, e da Emenda Constitucional (EC) 95/16, que congela os gastos públicos por 20 anos e que tem impactado duramente as instituições e institutos federais de ensino, alvo de vários cortes de recursos que buscam inviabilizar seu funcionamento e preparar posterior privatização, como já apontado para a Universidade Estadual do Rio de Janeiro, considerada uma das principais instituições do país.

Nesta segunda-feira (11), os veículos de comunicação destacaram fala de Henrique Meirelles (Economia), confirmando que o governo pretende ver a reforma da Previdência aprovada até outubro, o que reforça a urgência da jornada de lutas para barrá-la (confira AQUI).

Para reforçar o chamamento para a mobilização, o Andes disponibilizou várias artes que podem ser compartilhadas em capas e fotos de perfil nas redes sociais, como consta na página da Apruma no Facebook, de onde podem ser compartilhadas (confira no menu ao lado).

A APRUMA reforça o chamamento para a Assembleia desta terça-feira, para a reunião da Frente de Lutas contra as reformas e para preparação e participação nas atividades do dia 14 em todo o Estado: organize-se junto às demais categorias e movimentos e entre em contato conosco para divulgação.

Apruma, com informações do Andes-SN